01 novembro 2007

Opa!!! Outra cidade dos sonhos

A cidade dos sonhos
Era um lugar encantado,
Ar puro, sem poluição,
Sem devastação,
Melhor, com muita preservação.

Deus, o nosso pai maior,
Foi muito bondoso,
Colocou naquele lugar
Pessoas especiais,
Que de lá iam bem cuidar.

Na cidade dos sonhos,
Chovia todos os dias.
Os agricultores plantavam,
E não precisavam irrigar
Pois a água caia do céu
Sem eles a eles preocupar.

A vida era simples e humilde
Mas o povo era feliz,
A natureza lhes dava tudo.
Então, para retribuir,
Dela cuidavam com carinho
E zelo, sem destruir.

Árvores por todo lado,
Frutos doces no pé,
Flores para embelezar.
Animais de todas as espécies
Circulando pelas avenidas
E o povo a observar.

Pensem, que maravilha!
Água límpida e cristalina
Jorrando de varias fontes,
Formando ribeirões e rios.
E o povo muito sábio,
Usando, mas sempre cuidando.

O desperdício era proibido,
Fosse de água, energia ou alimento,
Pois todos compreendiam
Que a seca e a fome,
São males que aterrorizam.

A vida era pacata, tranqüila,
Sem violência e agressão,
Pois, o povo que ali vivia
Só cultivava a paz e a harmonia.

Crianças prestem atenção!
Essa cidade não existe,
É fruto de nossa imaginação.
Mas pensem como seria bom,
Se as pessoas deste planeta,
Cuidasse dele de forma consciente,
Será que não teríamos não uma cidade,
Mais varias cidades dos sonhos?

Isso seria incrível!
E não nos custa sonhar,
Para numa cidade dos sonhos vivermos
Basta apenas preservar!

Poema coletivo da 4° série da prof. Mônica
E. M. Flávia Dutra

2 comentários:

Maria Eduarda e Evelyn disse...

Eu gostei muito da sua história é muito legal esta história.
Ela é muito bonita e muito linda. Muito obrigado pela sua colaboração.
Parabens PRISCILA!
BEIJOS DE SUAs AMIGAs MARIA EDUARDA e EVELYN

MARIA EDUARDA E THALITA disse...

Eu amei a historia da PRISCILA. O MINEIRINHO GINCANA. Ela teve inicio meio e fim por causa disso que eu gostei.
MARIA EDUARDA E THALITA.


eu gostei da historia da PRISCILA.
do MINEIRINHO. a historia e enterecante parabéns para vocé PRISCILA. THALITA E MARIA EDUARDA.