21 setembro 2016

07 agosto 2016

Prêmio Todos por um Brasil de Leitores

Queridos Leitores, Escritores, Professores, Artistas e Colaboradores deste blog!

O “Escrevendo com Escritor” recebeu, em 2016, o Prêmio TODOS POR UM BRASIL DE LEITORES, premiação oferecida pelo governo federal por meio do Ministério da Cultura (MinC), do Plano Nacional de Livro e Leitura (PNLL), do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (PROLER), do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP) e da Diretoria de Livro, Leitura e Literatura e Bibliotecas DLLLB. O prêmio visa reconhecer e potencializar projetos da sociedade civil realizados por pessoas físicas e jurídicas sem fins lucrativos no âmbito das bibliotecas comunitárias/pontos de leitura e em ambientes sociais diversos de promoção da leitura. Honra muito grande para todos nós e alegria maior ainda, por podermos realizar uma edição especial do projeto. Além disto, ainda passaremos a integrar o Banco de boas práticas e projetos inovadores da Diretoria de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas - DLLLB.

Como é impossível agradecer a todos que contribuíram para isto, desde a primeira edição em 2005, vai um carinho especial para a Companhia Industrial Cataguases e o Instituto Francisca de Souza Peixoto, representando todo este mundão de gente que tornam tudo isto possível.

O “Escrevendo com o Escritor” tem como principais objetivos incentivar a leitura e a escrita e aproximar escritores infantis de seus leitores do interior de Minas Gerais. Esta edição especial será realizada no Centro Cultural Humberto Mauro em Cataguases e na Casa de Leitura Lya Maria Müller Botelho em Leopoldina. A culminância da iniciativa será em 29 e 30 de Setembro em um evento onde as crianças conhecerão os escritores pessoalmente, mas antes disto serão realizadas diferentes atividades em escolas das cidades, a saber: Escolas Estaduais Guido Marlière, Dr. Norberto Custódio Ferreira e Coronel Vieira, Escola Municipal Flávia Dutra, em Cataguases, e nas Escolas Municipais Botelho Reis, Profª. Maria da Conceição Monteiro de Resende, Osmar Lacerda França e Ribeiro Junqueira participantes do PIBID-UEMG, em Leopoldina. As crianças e jovens envolvidos se prepararão para receberem os escritores lendo seus livros, conhecendo suas biografias e organizando atividades para homenageá-los. Paralelo a isto, escreverão juntos com os escritores neste blog histórias, poesias, poemas, além de utilizar o recurso dos comentários para se conhecerem melhor. No dia do encontro, serão apresentadas peças teatrais adaptadas dos livros lidos, danças e músicas.

Participarão desta edição especial quatro escritores:

Marco Andrade, o nosso Markim, é de Cataguases. Já morou no Rio de Janeiro, mas não aguentou de saudades e voltou. Antes de escrever seu livro para crianças, já era professor, ator, agente cultural e cineasta.
Patrícia de Arias é de Granada, na Espanha, mas hoje mora em Resende, Rio de Janeiro. É poeta, escritora, atriz e professora de teatro.
Sandra Pina é do Rio de Janeiro. É escritora, tradutora e jornalista. Escreve especialmente para crianças e jovens e tem vários livros publicados.
Guga Murray é músico e poeta. Escreveu o livro caixinha de Música junto com sua mãe também poeta, Roseana Murray.

Conheça melhor os escritores e leia as histórias nas páginas de cada um deles no topo do blog.

Um beijinho a todos!

Andrea

30 março 2015

Escrevendo com Escritor - Encontrão!!!

Sejam bem vindos!


O Escrevendo com Escritor é uma iniciativa de incentivo à leitura, à escrita e às artes, direcionada a escolas públicas, desenvolvida há nove anos no Instituto Francisca de Souza Peixoto com o patrocínio do Ministério da Cultura e da Companhia Industrial Cataguases. Os alunos se preparam com a orientação dos colaboradores do Instituto e de seus professores na escola e na Biblioteca Digital Josué Inácio Peixoto para receberem os escritores. Paralelo a isto, crianças e escritores mantêm este blog, onde escrevem e se conhecem. As atividades culminam no encontro com o escritor ao final do projeto. Neste dia são apresentadas peças teatrais adaptadas dos livros, danças e músicas. Autores e crianças se conhecem pessoalmente e livros são lançados.

Este ano iremos reunir 8 dos 17 escritores que participaram do projeto em suas edições anteriores. Ronaldo Simões,  Tomáz de Aquino,   Madu Costa, José Santos, Mauro Sérgio Fernandes,  Cláudio Martins,  Anna Cláudia Ramos, Silvio Costta. Desta forma ampliaremos os beneficiados, suas opções de leitura, peças de teatro e contato com escritores, além de publicarmos um livro organizado pela idealizadora e coordenadora do projeto, Andrea Toledo, “Conta Aqui, Conta Lá!!! Não para de Contar”, com histórias infantis escritas pelos escritores convidados.

No “Encontrão”, que acontecerá nos dias 29 e 30 de Junho, várias atividades serão realizadas nas escolas envolvidas, no Instituto Francisca de Souza Peixoto, na Casa de Leitura Lya Botelho em Leopoldina e no PINA – Ponto de Interação nas Artes, este último será direcionado a professores, acadêmicos e todos aqueles que gostam de ler e escrever. Vamos reunir todos os escritores para um bate-papo sobre contos de fadas, amor, golfinhos, caramujos, Zumbi dos Palmares, cidadania, casamento, assombração e tudo que sua imaginação mandar.

Além do patrocínio do Ministério da Cultura e da Companhia Industrial Cataguases e do suporte físico e humano do Instituto Francisca de Souza Peixoto, que acontece desde sua primeira edição, o projeto conta este ano com o apoio da Secretaria de Cultura de Cataguases, da Universidade do Estado de Minas Gerais, da Fábrica do Futuro, das Faculdades Sudamérica, da E. M. Flávia Dutra, da E. E. Coronel Vieira, da E. E. Guido Marlière, da E. M. Monsenhor Solindo, do Centro de Convivência da Criança e do Adolescente, do PROLER de Cataguases, da E. M. Manoel Dutra de Siqueira, da Creche Tia Lilia, de escolas municipais de Leopoldina -Judith Lins, Osmar Lacerda França, Ribeiro Junqueira e CAIC - e da Casa de Leitura Lya Botelho também em Leopoldina.





27 novembro 2013

Mais um recadinho do Álvaro

Obrigado, doce Andrea Toledo e crianças lindas de Cataguases. Foi emocionante minha participação no Projeto Escrevendo com o Escritor. Fantástico! Muito orgulho pela homenagem... envolvimento completo , intenso de professores e crianças. Foi um encontro inesquecível, aliás um ano inteiro de encantamento puro. Cresci muito com este encontro-encanto.

Andrea, você é um amor, obrigado por me proporcionar tanta alegria... Beijos, amiga querida e brilhante, seu fã.

Alvaro Ottoni

25 novembro 2013

Quem é Alvaro Ottoni?

Ninguém consegue definir, só sentir! Nossos corações deixaram Alvaro entrar e ele não sairá de lá jamais.
Alvaro nos emocionou, desta vez o Escrevendo com Escritor teve até chorinho emocionado de professoras “duronas”. Contou histórias de uma maneira singular, mas para ele, todos nascemos contadores de histórias, só precisamos aprender a fazer isto com o coração.
Ele também se emocionou várias vezes. Não tinha como não acontecer. Nós também sabemos tocar corações. Dançamos, apresentamos teatro que recontava a história de um peixe, pobrezinho, que não sabia nadar. Isto tudo sem contar as histórias que escrevemos juntos, os recadinhos, os vídeos e trabalhos artísticos que tiveram seus livros como inspiração.
Amantes da leitura e de escritores que somos, o recebemos com um grande alvoroço. Gostamos mesmo desta bagunça, não é a primeira vez que fazemos. Só sossegamos para ouvir suas histórias. Claro teve muito abraço e beijo. Isto nunca falta no encontro com os escritores. Aliás, teve mais abraço e beijo que qualquer outra coisa.
 Não sabemos responder mesmo o que é Alvaro Ottoni. A única certeza que temos é que o queremos no Ottoni, no Inverno, na Primavera e no Verão...


Andrea Toledo

18 novembro 2013

Outro recadinho do Alvaro

Oi, meu coração está encantado com as histórias de vocês, pelo jeito vamos ter que escrever não um livro, mas uma coleção de livros sobre a história de Raul da Rua e Miguel da Lua.

Beijos, amigos e amigas, já, já estaremos juntos.
Eu não vejo a hora desse encontro acontecer. 
Alvaro!

14 novembro 2013

Os alunos do 1º ano da Profa Maria Lúcia, da E. E. Guido Marlière fizeram lindas ilustrações das histórias de Miguel da Lua e Raul da Rua. Tomara que o Álvaro goste!!!!


Recadinhos malucos para nosso querido Alvaro

12 novembro 2013

... um dia Raul da Rua viu um gatinho muito quietinho, caladinho no seu canto. E como era muito malandro decidiu fazer uma brincadeira com ele. Chegou perto dele e perguntou:

-Qual o seu nome?
-Meu nome é Miguel da Lua!

Do nada começou a rir. Veio Miguel da Lua e falou:

-Meu nome é esse, porque gosto de escrever poemas sobre a lua e as estrelas.
- Então escreva um para mim. – disse Raul.
- Tudo bem!

E assim o que seria uma brincadeira de mau gosto se tornou uma grande amizade.

O Raul conseguia comida e Miguel fazia lindos poemas para alegrar suas vidas. E foi assim que se tornaram grandes amigos.

Alunos Profa Maria Inês
E.E. Guido Marlière
... Raul da Rua não teve uma vida boa por ser malandro, a carrocinha o pegou, já Miguel da Lua teve uma bela vida, uma moça o encontrou olhando para as estrelas miando e como viu que ele não tinha dono, o pegou para cuidar. E toda noite ele ia à janela e ficava olhando para as estrelas admirando-as. Miando em versos e estrofes cada miado mais lindo do que o outro.

Alunos da Profa Genoveva
E.E Guido Marlière
... um dia uma estrela lá do céu ouviu o gato falando e resolveu realizar o seu desejo mandando uma estrelinha que vivia triste por lá.

A estrela caiu onde o gato miava e virou uma gata bem bonita. Ela perguntou o seu nome e ele respondeu:

- Eu me chamo Miguel e você?
- Eu me chamo Larissa. – respondeu a gata-estrela.

Eles brincaram de montar coisas. Raul da Rua já era casado e sua esposa estava esperando filhotes. Passaram anos e os gatinhos já tinham crescido e viveram felizes para sempre.

Alunos da Profa Clébia
E.E Guido Marlière
... Miguel da Lua se distraia tanto olhando os astros e estrelas durante a noite que se esquecia de comer.

Já Raul da Rua passava o dia inteiro se empanturrando de comida, que ele conseguia miando nas janelas perto das cozinheiras, perto das crianças no recreio da escola e em muitos outros lugares.

Um dia Raul da Rua ganhou tanta comida que teve que guardar em uma sacola.

E quando chegou a noite ele convidou Miguel para lhe contar sobre as estrelas e os astros enquanto saboreavam as delicias que Raul havia conseguido.

Alunos da Profa Filomena
E.M. Monsenhor Solindo
... um dia veio morar no bairro uma gatinha muito lindo e comunicativa. O nome dela era Marry. Era uma gata branquinha, de olhos azuis.

Os dois gatos viram a gatinha e logo ficaram apaixonados por ela. Miguel para conquistar a gatinha fez uma linda poesia e declamou para ela. Quando Raul ficou sabendo disso, foi mais que depressa pegar a sardinha que ele havia guardado na lata de lixo para presenteá-la.

Quando  ele chegou com o presente perto da Marry, ela logo disse:

- Que horror! Que mau cheiro! Como você pode me presentear com isso. Ela imediatamente foi embora.
Os dois gatos eram muito jovens e inexperientes e a gatinha não gostou do jeito deles.

Numa noite, mudou-se para o bairro um gatão lindo, mais velho conhecido como Ricardo Ricão e que trabalhava numa loja de roupas para animais. A gatinha logo o viu e se apaixonou por ele e se casaram.

Os dois gatos ficaram tristes, mas não perderam a amizade com Marry e continuaram a vida feliz, observando os astros e fazendo poesia e outro passeando pelas ruas.

Alunos da Profa Angela
E.M. Monsenhor Solindo

04 novembro 2013

Prêmio ARede 2013

Ganhamos o Prêmio ARede 2013 e a Profa Andrea foi a São Paulo buscá-lo pra gente. Querem saber como foi? É só clicar nos links abaixo.









Recadinho do Alvaro


Oi, gente querida!

Imaginem eu, a ansiedade de meu coração em transformar crianças e professores até em então desconhecidas em conhecidas e amigas do coração. Não vejo a hora de estar com vocês. Estou adorando as histórias do Raul da Rua e do Miguel da Lua
.
Beijos, beijos, beijos.


Alvaro
... Um era cinza e outro era marrom.

Raul da Rua vivia a miar e procurar comida. E era muito preguiçoso. Miguel da Lua amava estudar e lia o dia inteiro. Raul não conseguia comida fácil, já Miguel usava da sua esperteza e sempre conseguia alguns petiscos.

Um vivia na luz e tinha medo da escuridão, o outro vivia na escuridão e tinha medo da luz. Um não tinha casa e o outro morava em uma verdadeira mansão.

Apesar das diferenças eram grandes amigos. Adoravam brincar para lá e para cá, até a noite chegar.

Certo dia Raul entrou as escondidas em uma mansão, pois tinha muita fome. Quando se deu conta era a casa do Miguel da Lua. Raul pediu mil desculpas. Miguel resolveu convidá-lo para morar com ele e desfrutar dos luxos de sua mansão.

Alunos Profa Aline
E.E. Guido Marlière
... e vinha sua inspiração para a poesia.

Um dia, quando Miguel da Lua se concentrava, Raul da Rua, todo malandrão, chegou de mansinho atrás dele e o assustou, tirando-lhe a concentração.

- E ai cara! Beleza? – disse Raul da Rua.
- O que é Raul, quer falar alguma coisa ou veio aqui só para incomodar?
- “koé”, cara! Vim só bater um papo que vai te interessar.
- Fala logo, então! – disse Miguel da Lua
- Fiquei sabendo que tem uma nova gatinha na área!
- É mesmo e qual o nome dela? – perguntou Miguel.
- O nome dela é Paty, irmã da Naty, aquela gatinha manhosa que deu em cima de você!
- Ah, então já sei! É uma toda branquinha que só anda de laçinho vermelho. – disse Miguel.
- Essa mesma, mano. Agora preciso ir, vou encontrar algumas gatinhas.

E daquele dia em diante nunca mais se viram. Dizem que Raul da Rua foi preso e Miguel da Rua virou um poeta famoso.

Ana Caroline, Bianka, Juliana
Profa Edilena

E.E Guido Marlière.
... mas até que um dia Raul da Rua desconfiou de Miguel da Lua porque ele saia todos os dias, ele ia para o telhado. No dia seguinte Raul perguntou para Miguel porque ele estava saindo todos os dias. E Miguel respondeu dizendo que estava nos telhados para ver a lua, estrelas e astros.

Raul disse que entendia e perguntou se poderia ver o céu com Miguel. Miguel disse que sim, porém havia uma condição, que Raul o levasse a becos, bairros e ruas.

Passaram dias e dias e eles fizeram um acordo que um dia os dois iriam ver o céu e no outro, os becos. E assim eles foram felizes.

Laiza
Profa Fabiana


E.E. Guido Marlière
...Numa noite Raul da Rua e Miguel da Lua estavam passeando, então veio um carro e parou bem pertinho deles, de dentro do carro saiu um homem alto e muito magro com uma roupa esquisita e uma arma na mão.

Ele então apontou a arma para os gatos, pegou os dois e colocou dentro do carro.

O homem levou os gatinhos para um lugar muito escuro, os gatinhos ficaram com muito medo, eles se deitaram e dormiram ali.

No dia seguinte, Raul da Rua como era muito esperto, tentou abrir a fechadura da grade onde estavam presos. Raul da Rua conseguiu abrir mais não puderam sair, naquele momento o homem assustador chegou para vigiá-los.

Quando já estava quase anoitecendo o homem dormiu e então eles conseguiram fugir.

Raul da Rua e Miguel da Lua nunca mais ficaram passeando a noite.

Ana Beatriz
Profa Ana Maria


E.E Guido Marlière

31 outubro 2013

... Ele ficava inspirado e então escrevia lindas poesias. Suas poesias retratavam sobre estrelas, a imensidão do céu, a natureza e a beleza do Luar.

Miguel da Lua se encantava com o brilho reluzente da constelação e da cidade toda iluminada. O grande poeta era a noite passar como num toque de mágica.

Raul da Rua era completamente diferente do Miguel da Lua, pois ele era muito malandrão e só queria saber de curtição.

Suas aventuras pelo bairro eram conhecidas como “O grande Furto”.

Ele tombava latas de lixo, entrava nas casas e revirava as panelas e ainda sem nenhuma vergonha se dirigia até os açougues e furtava suculentas carnes.

Assim que se sentia saciado, Raul da Rua procurava um telhado bem tranquilo para repousar. No cair da tarde de uma bela sexta-feira 13, os dois gatos se encontraram no telhado de uma casa, tornando-se amigos inseparáveis.

Assim termina a nossa história, mas não poderíamos deixar de ressaltar, que apesar de grandes amigos os dois eram bem diferentes, pois um curte a claridade e o outro se fascina com a escuridão, sendo conhecido como poeta e malandrão.

Alunos do 5º ano
Profa Milena

E. M. Monsenhor Solindo
... Um gostava do dia e o outro da noite. O mais esperto, que era do dia, sabia os meios para conseguir saciar sua fome. Era um gato tinhoso, usando sua esperteza para sua sobrevivência.

O da noite ficava a meditar ao Luar. Seu lugar preferido era o telhado, onde sonhava viajar com seus pensamentos, na certeza de que seus sonhos trariam mais uma noite romântica. Acreditando que os astros seriam sua melhor companhia, sempre que voltava seu olhar para o céu, anunciava com seu miau. Aqui mais uma noite para amar.

Nossas diversões encantam quem conta a história dos gatos divertidos.

Alunos do 3º ano
Profª Norma
E. M. Monsenhor Solindo


... O sonho de um era visitar a Lua e do outro era ser o maior rico da rua.

Um dia o Miguel da Lua recebeu um convite para visitar a estação espacial: A Gatos Espaciais Viajantes a Lua (G.E.V.L) e viajar para Lua com um acompanhante, Raul da Rua esta observando do telhado de vidro.

Quando chegou em casa Raul da Rua estava esperando por ele na porta e disse:
- se você não me levar vai ter vingança!

No final Miguel da Lua acabou cedendo e logo de manha partiram em direção à Lua, mas no caminho encontraram uma chuva de asteróides, mas por sorte Raul da Rua sabia pilotar naves. Porem, algo inesperado aconteceu, um cometa acertou um dos três propulsores. Foi uma viagem muito difícil, mas conseguiram chegar a Lua. Miguel pegou uma pedra lunar, mas Raul tinha pegado duas.

Quando voltaram ao planeta Terra, Raul entrou no gatoputador e colocou uma pedra lunar autêntica no valor de R$ 95000000,00 ervas de gato.

No outro dia Miguel da Lua achou o anúncio e queria comprar, só que não tinha erva de gato o suficiente e resolveu pedir 250 ervas para Raul da Rua e ele disse:
- Não! Estou economizando para comprar um gato conversível.

Miguel da Lua acredita e fala:
- Compreendo caro Raul.

Depois Miguel viu que quem havia postado o anuúncio era o próprio Raul. Quando o encontrou já foi pedir explicação e Raul explicou:
- Eu queria fazer uma festa surpresa para você, mas posso deduzir que já sabia. Miguel pede desculpas e eles voltaram a ser amigos.

Gabriel Lacerda
5º ano
Profa Selma

E.E. Guido Marlière

10 outubro 2013

Meu coração acordou cor de rosa - criança ele acorda sempre - e já começo a prepará-lo, a domesticá-lo pra ele não ter um peripeque nesse encontro-encanto mágico que se aproxima ... e que chegue logo... beijos.

Alvaro


07 outubro 2013

Recadinho do Álvaro

Beijo, meninos, já, já, nos vemos, vai ser lindo, não vejo a hora.
 Álvaro

10 agosto 2013

Muito prazer! Meu nome é Álvaro!


Oi!

Meu nome é Alvaro Ottoni e como escritor já publiquei 29 livros para crianças e jovens. Esse negócio de inventar história começou na minha infância. Quando nasci em uma casa grande no Rio de Janeiro já tinha seis irmãos e depois de mim nasceram mais três. A casa era bem grande pra guardar toda aquela gente. Tinha campo de futebol, quintal, uma mangueira grande. Não tinha televisão, não. Aí, eu brincava mesmo era com a minha imaginação. Gostava pra caramba de falar sozinho, de inventar amigos, e jogava bola o dia inteiro - jogo até hoje - e muitas vezes jogava sozinho correndo pra lá e pra cá, chutando prum lado e pro outro, driblando adversários imaginários e comemorando gols e mais gols. Na minha casa tinha livro por todo o canto, até nos banheiros. Meu pai era escritor e me contava histórias, e me passava redações pra fazer. Minha mãe adorava piadas. Meu avô, também era um grande contador de casos. Nessa casa eu era bem feliz e sabia. Até que um dia.... meu pai teve de vender a casa... E da imensa tristeza pela perda da casa, e imaginando assim, " se minha árvore puder fugir ela foge" e foi assim que aconteceu meu primeiro livro, e qual o nome dele? " A Árvore Que Fugiu do Quintal", e daí não parei mais de escrever livros, e hoje , são 31 anos como escritor e 29 livros, o mais recente se chama " O Menino Misterioso" , e eu acho ele bem legal e tem ilustrações lindas de um ilustrador também carioca, chamado Vitor Belicanta. Procuro em todos os meus livros usar bastante o humor e o carinho. Dizem que meus livros são bem engraçados e que além de divertir, meus livros fazem também a gente pensar.

Tenho 3 filhos , Carolina, apelido  Cacá, Elisa e Fábio e conto histórias pra eles desde que estavam na barriga da mãe que se chama Ângela e é ilustradora de livros infantis e professora de artes plásticas. As duas filhas estudaram teatro desde os 6 anos de idade e hoje são atrizes. A Carolina, como atriz se chama Cacá Ottoni, e na televisão foi a Morgana, da novela Malhação - a ruivinha que namorou o Orelha na novela. A Elisa Ottoni, também é uma atriz espetacular, tem 19 anos, acabou de estrear mais uma peça ontem, que chama-se " Baleia" e está em um teatro do bairro da Lapa no Rio de Janeiro. O Fabinho, meu caçula, vai fazer vestibular agora talvez pra cinema, talvez pra comunicação, ainda não decidiu, escreve muito bem, mas não larga o skate, desde pequeno, e é fera mesmo, é o Fabinho Ottoni. Meus 3 filhos são maravilhosos, é por tudo isso que o que sou mais hoje na vida é um PAI BABÃO!!!!!  

Ah... caramba, esqueci de dizer que de tanto falar sozinho, de tanto inventar livro, hoje além de escritor sou um contador de histórias e me apresento nos teatros com meu espetáculo para crianças, " Trelelê-Tralalá" e para jovens e adultos , um outro chamado  " Se Não é Aguda é Crônica"

Beijão!
Vejo vocês em Novembro
Alvaro