21 setembro 2006

Agora é nossa vez!!

Depois de ler "O relato de um menino sonhador" as crianças que escrevem para este bloguinho começaram a fazer também os seus. E aí estão os primeiros. São dos alunos da professora Aparecida da E. E. Guido Marliére
Prof. Andrea

"No meu primeiro dia na escola minha avó me levou, eu já sabia que iria para a escola, então fiquei muito ansiosa para chegar lá.
Bateu o sinal eu sai correndo para a sala de aula, entrei sentei e apoiei na mesa da senhora Adriana, minha professora, que era muito criativa. Ela fez uns sapinhos para cada aluno. Eu estava doida para ganhar um sapinho, e quando ganhei fiquei muito contente.
O tempo foi passando e o sinal bateu, eu fiquei um pouco assustada vendo aquele monte de gente ao mesmo tempo, mais logo encontrei minha avó. A senhora Adriana havia passado um dever para casa, eu a achava muito brava.
Chegando em casa almocei, brinquei, e depois de tanto brincar fiquei muito cansada, minha avó me perguntou se eu tinha algum dever para fazer, e eu respondi que tinha um desenho para colorir, mais que eu não iria colori-lo naquela hora, então minha avó falou que eu tinha que colorir sim. Logo colori o meu desenho e fiquei pensando será que os mais velhos querem nosso bem?
No outro dia fui para escola tranqüila e com o dever pronto."

Thamyres da Cunha Lobo


"Num belo dia eu, a mamãe e o papai estávamos em casa, quando minha mãe me mandou arrumar, e disse que iríamos sair. Então sai correndo para o quarto, achando que a gente ia à pracinha, mas a gente não iria à pracinha, ouvi meu pai dizendo que iríamos à escola. Então comecei a chorar, achava que quando as pessoas iam para as escolas elas nunca mais voltavam. Eu não queria ir, mais não teve outro jeito, pois meu pai dizia que se eu não fosse iria apanhar e até ficar de castigo.
Quando cheguei na escola a professora me chamou pra entrar para a sala, eu fui mas minha vontade era de voltar para casa. Quando entrei dentro da sala meus olhos se encheram de lágrimas, mas eu não chorei. Depois de cinco minutos a professora começou a conversar com a gente. Ela fez várias perguntas e perguntou para todos os alunos seus nomes, quando chegou minha vez fiquei com muita vergonha e na hora que eu falei que meu nome era Crislaine todo mundo começou a rir, inclusive eu. Logo depois tocou o sinal para irmos embora, neste dia a aula acabou mais cedo, e por isso não teria merenda. Ainda bem que meu pai estava lá me esperando. Quando cheguei em casa contei tudo que havia acontecido na escola, e foi ai que percebi que a escola é o melhor lugar para se aprender as coisas. E até hoje eu não me esqueço da “Escola Municipal Turminha da Mônica” e de tudo que aprendi lá."

Crislaine de Oliveira Dias


"Entrei na escola aos três anos de idade, não via a hora de poder chegar lá. Foi em uma escola particular porque nas escolas públicas não aceitavam crianças na minha faixa etária. Cheguei lá e dei tchau ao meu avô que me levou. Brinquei muito, fiz vários trabalhos com massinha, com reciclagem de materiais.
Todos os dias minha mãe dizia que eu não via a hora de poder ir para escola. Minha maior felicidade foi quando vesti meu uniforme e fui para casa, pois foi a diretora quem me vestiu. Eu adorava estudar naquela escola, lá tinha muitas coisas legais, eu aprendia música e brincadeiras. E quando minha mãe chegava em casa me ensinava os deveres e brincava muito comigo. Teve uma época dos 4 anos a escola mudou de lugar e eu estranhei, não queria ficar, chorava muito e voltava para casa. Isto também aconteceu porque minha mãe estava saindo do emprego e teve que ficar em casa, então eu me apeguei muito a ela, e não queria ir para escola. Quando meu avô me levava eu chorava e voltava para casa. Um dia minha mãe me levou quando cheguei não queria ficar na escola, queria ir embora com minha mãe, mais ela não deixou, e me levou para sala junto com a diretora. Minha mãe foi embora, e assim que ela saiu eu comecei a brincar. Eu acostumei com a escola e não quis mais faltar às aulas.
Depois fui para outra escola, pois minha mãe não podia pagar mais as mensalidades, me sai muito bem. Com um pouco de dificuldade, mas sempre procurava superar todas. Conto sempre com ajuda de Deus e de meus parentes."

Bianca Lima Pires

5 comentários:

Aparecida Chaves disse...

Ei pessoal!
Estou sentindo falta de seu comentário...
E aí nao vai falar nada?
Que isso! Nao nos deixem na espera...
Beijos...
Aparecida

Lara Geroege Maximo disse...

Eu lara adorei a história de Crislaine.Continue estudiosa como sempre.beijos da sua melhor amiga

Thamyeres disse...

Eu thamyres adorei as histórias da Bianca e da Crislame continue com este talento de escrever histórias maneiras.

Alice disse...

Eu ALICE adorei o texto da Crisline de Oliveira Dias, eu achei interessante porque ela falou de muitas coisas legais.

Bianca e Fabiola disse...

Eu gostei muito do seu texto ,você foi demais .Parabéns que você continue assim que você seja muito feliz.