16 outubro 2006

A história da história da coleção do Homenzinho da Caverna e os sons que ele descobriu

Descobrir como nosso amigo Sílvio Costta criou a coleção “O Homenzinho das Cavernas” foi muito divertido e estimulante para nós todos colaboradores deste blog. Espero sinceramente que todos os visitantes possam ter sensações semelhantes e se divirtam com a leitura. Grande abraço.

Prof. Andréa

"Tente imaginar um raio caindo, uma luz acendendo, um avião passando rasante, deixando uma marca no céu como um caminho de nuvens que mais parece uma estrada de algodão.
Imaginaram? Pois é, foi assim que eu me senti numa manhã de sábado quando eu tive a idéia de escrever a história do Homenzinho da Caverna. Não é bem assim de repente que surgem as idéias...vou explicar melhor.
Depois de “brincar” (trabalhar) com crianças durante mais de 10 anos, escrever peças de teatro com bonecos, fazer personagens e muitas músicas infantis fui juntando durante todo esse tempo o material para conseguir fazer as histórias do Homenzinho. Sempre me interessei por esses assuntos da pré-história e tudo que está relacionado aos nossos primeiros habitantes. E olha que muita gente gosta desse assunto, e como toda essa gente sempre faz a mesma pergunta pra eles mesmos, eu também sempre me pergunto: De onde eu vim? Quem foram os primeiros homens aqui? E de tanto fazer essas perguntas, acabei indo atrás das respostas – estão vendo crianças? É sempre importante tentar encontrar as pedrinhas que se chamam respostas para responderem nossas perguntas. Nem que para isso tenhamos que cavar muito e durante muito tempo, e olha que nem sempre encontramos resposta para tudo. Essa é a graça de ser curioso e viver para ser curioso: é gostar de viver!


Um dia surgiu a oportunidade: uma amiga minha que é diretora de uma creche da prefeitura de minha cidade, São Paulo, me convidou para dar aulas de música e teatro para os pequeninos que tinham entre 1 ano e meio e 5 anos. Eu já tinha dado aula para crianças em outras escolas, mas elas não eram tão novinhas, bebês, assim por dizer. Preparei as aulas e fiz de tudo pra poder começar meu trabalho de forma legal. Lá no fundo, eu sabia que estava faltando alguma coisa, então eu descobri: todo mundo conta histórias todo dia, a toda hora e para várias pessoas. Já pararam pra pensar nisso? Nossa vida gira em torno de histórias. Nascemos, crescemos e ficamos velhinhos fazendo nossa história, a história de cada um. Contar como foi o dia, o que fez, o que queria fazer e tantas outras coisas que ouvimos e transformamos em histórias...e o mundo? O mundo tem bilhões de histórias, cada um pode contar a sua!
A minha começou assim: minha primeira aula na creche era na segunda feira. No sábado pela manhã, por volta das 6 horas , eu acordei com a história na minha cabeça. Ela veio de uma vez “...era uma vez um homenzinho da caverna que gostava de ouvir os sons...” e assim eu corri pro computador e fiquei escrevendo até o meio dia. O mais engraçado é que não conseguia parar, porque já imaginava a carinha das crianças ouvindo a história ao mesmo tempo em que poderiam brincar com os sons. Eu tinha arranjado uma solução para deixar a história mais divertida: usar palavras e sons . No dia da primeira aula, lá estava eu com minhas folhas de sulfite, eram mais ou menos umas 8 folhas. As crianças ficaram fascinadas, não atrapalharam a história, brincaram como se fossem homenzinhos da caverna. Após cada aula, eu fazia brincadeiras sonoras, como imitar bichos, com gestos, usando o corpo e os sons. Foi um trabalho maravilhoso que eu jamais vou me esquecer, principalmente porque ele me deu muitos frutos e muitas alegrias, inclusive para as crianças. Todo meu carinho pela história da humanidade está no homenzinho da caverna e os sons. Querem escrever também? Leiam e abram o coração!
Tenho certeza que coisas boas sairão!"

Silvio Costta

9 comentários:

Anônimo disse...

Incrível o seu "começo" de trabalho... Se todos encontrassem um caminho tão lindo assim, encontrassem um "homenzinho" para ser luz no trabalho, a educação seria bem mais prazerosa e cheia de surpresas agradáveis. Parabéns! Amei saber... Carinhosamente, Lenir.

Anônimo disse...

Oi Silvio Costta adoramos o texto,
nos ensinou a ver a vida no passado vivendo no presente.

Anônimo disse...

Silvio Costta,
Parabéns pelo seu desempenho nessa coleção que agradou a todos...Parabéns também por se interessar pela antiguidade... Com essa coleção você nos ensinou de um jeito diferente...

Anônimo disse...

Eu,MARIA DE LARA adorei as suas histórias pois saõ muito legais e deferentes conta de varias coisas.BJS de uma menina que te adimira muito MARIA DE LARA.

Anônimo disse...

Silvio Costta você nos mostrou texto diferentes. Com sons.Seu jeito de inventar o homenzinho da caverna.

Anônimo disse...

oiiiiiiiiiii sou a Brenda e minha amiga é a Bruna . Gostamos muito do seu livro é muito criativo! Beijos de Brenda e Bruna.

Anônimo disse...

oiiiiiiiiiii sou a Brenda e minha amiga é a Bruna . Gostamos muito do seu livro é muito criativo! Beijos de Brenda e Bruna.

thais/maria rita disse...

silvio costa amei seus livro Beijos Thais e Maria Rita

Odilon / Paulo disse...

Silvio Costa adorei seu poema.quero desenhar mais para você.